Eu só entendi o que era um tempo quando precisei de um

FONTE
Nunca entendi muito bem aquelas pessoas que precisavam "de um tempo". Como assim, um tempo? Quem mede isso? Como é possível saber que a solução é usar uma palavra tão vaga e também tão repleta de coisas? 

É que eu não entendia que o tamanho da nossa própria perda poderia ser tão perturbadora assim. 

Sempre fui um livro aberto. Brinco que minha testa é um outdoor, onde tudo é exposto. Sentia a necessidade de compartilhar, ter alguém pra chorar as pitangas e essas coisas. Resumindo: sempre existia alguém que sabia exatamente tudo o que se passava aqui. Como então alguém poderia preferir se isolar, guardar pra si, tirar um tempo do mundo e voltar como se nada houvesse mudado? 

Mas chegou um momento em que eu percebi que falar não adiantava mais nada. Pra que falar, se isso não mudaria absolutamente nada? Não via mais necessidade em criar um desgaste emocional que não levaria a lugar algum. 

Como explicar aos meus amigos que não, eu não respondi a mensagem pelo simples fato daquilo me perturbar? Como entender que eu muitas vezes não quero socializar, tomar um café ou só trocar algumas palavras? 

É: o dar um tempo, a seu tempo, chegou até mim. 

É muito triste sentir esse não-pertencer, a vontade de se isolar por mais que isso doa mais que açoitadas na pele. Não é algo que você quer, é algo que você precisa. E você o faz sem ter a mínima garantia de que vá funcionar, machucando sem intenção muita gente que está a sua volta. 

É querer partir sem a menor vontade de voltar, é o medo de levar aos outros a amargura que toma conta do seu peito. É o eterno questionamento de por que diabos isso acontece, sem nenhuma perspectiva de resposta satisfatória. É escrever e apagar, ou mesmo nem escrever - porque não vale a pena. É precisar sumir às vezes, sentindo a pressão do tanto de coisa que se está deixando. Também é não poder sumir, porque a vida nos põe correntes disfarçadas de responsabilidades. 

Entenda o tempo que a pessoa que está ao seu lado precisa, ela muitas vezes pode não saber lidar com o tanto de coisa que se passa dentro dela. Não pense que você pode abraçar o mundo. E nada disso é culpa sua.