RESENHA - Isabela Freitas: Não se enrola, não

Oi, gente! Demorou, mas saiu a resenha do terceiro livro da minha mineira preferida! Se você não conhece a série da Isabela, aqui está a resenha do livro anterior.

Não se enrola, não, lançado em novembro de 2016 pela Editora Intrínseca, tem 224 páginas e continua na lista dos livros mais vendidos aqui no Brasil. 

Isabela, na história, mudou-se para São Paulo. Foi convidada para ser colunista em uma revista e também tem contrato com uma editora para seu primeiro livro. Em meio a maior cidade do país, problemas no trabalho, grandes responsabilidades, há uma pessoa muito conhecida morando no mesmo andar que ela: Pedro Miller. O melhor-amigo e agora ficante da protagonista está deslanchando em sua carreira musical e, ao pedido dos pais de Isabela, alugou um apê no mesmo prédio e andar que ela para poder cuidar da "branquela".



"Ah, só os fortes podem amar! Amor não é coisa para covardes."

Muitas emoções, né? O tão amado por todas, Pedro, tem um relacionamento com a Isabela! Não é namoro, amizade, ela denomina a relação como "isso": ninguém entende direito.


O livro tem partes reflexivas ótimas, e a que mais ganhou meu coração foi a dos princípios básicos para que um relacionamento funcione. O enredo, como toda boa narrativa, tem altos e baixos, momentos em que a gente até prende a respiração ao ler, de tanta ansiedade. Há também alguns capítulos do livro que a personagem escreve na história. Como sempre, indico a leitura, pois todos vocês já sabem do meu amor pela Bebela, né?


"Não existe momento certo para para decidir o que é melhor para sua felicidade."

A obra também traz em seu início as "20 regras para não se enrolar" e elas só aumentam minha admiração pela escritora e seu jeito de pensar e sentir. Todo mundo aprende algo com a Bebela - desde superar um relacionamento lixo até valorizar as verdadeiras amizades.


"Para começar, achar o amor da vida é muito fácil: basta se olhar no espelho. É isso mesmo. Você é o grande amor da sua vida, vai ser sempre sua grande paixão, seu grande motivo para acordar feliz todos os dias, acreditando que pode mudar todo o curso da própria história."

O livro conta com mais algumas surpresas boas, como por exemplo a reatamento dos laços da personagem principal e sua (tão odiada no segundo livro) prima. Há muito humor, cenas engraçadíssimas, passagens tristes, também, e uma observação que eu não poderia deixar de fazer: ao falar de São Paulo, Isabela cita as pessoas que vendem dose de tequila na Augusta - algo que também me chamou muito a atenção quando dei uma passada por lá (risos). Cada vez acho que essa mulher é minha alma-gêmea! hahaha



"O que ninguém nos contou é que os finais felizes não existem. Somos felizes no meio disso tudo. Antes do fim." 

Enfim, espero que vocês leiam esse livro, pois eu o amo! Um beijo e aguardem mais resenhas por aqui, estou voltando com tudo!