Carta para um inconsequente

FONTE
Oi, tem alguém aí? Será que dessa vez você consegue ao menos me ouvir? 

Não sei se você consegue enxergar quão fundo é o buraco que você está cavando com as próprias mãos - daqui dá pra ver perfeitamente. Como boa nadadora que nada e continua na praia, eu jogo para dentro uma pá de terra, enquanto você manda duas para fora. 

Minha vontade era poder descer e te arrancar daí. 

Eu já vi histórias que começaram parecidas com a sua - todo mundo vê. Do fundo do meu coração, eu espero que você seja a exceção da regra, porque essas histórias nunca terminam bem. É difícil imaginar que um rosto tão lindo como o seu pode um dia ser machucado pelo mal ao qual você se expõe. É difícil imaginar que você pode perder tudo e eu não posso fazer nada.

Eu sempre quis te colocar no colo e cantar (mesmo que desafinadamente) pra você dormir, por mais que eu sempre aparentei ser o mais fraco de nós dois. Queria te deixar a salvo nos meus braços, mas eu entendi que eu não posso. Eu não posso, porque o máximo que a gente pode fazer é assistir às tomadas de decisões alheias. A gente demora pra entender, mas um dia percebe que não consegue fazer ninguém mudar, mesmo com as melhores intenções. 

Como diz uma música muito taxativa, "eu não sei se os teus ouvidos estão prontos pra me ouvir", então eu escrevo. Escrevo e coloco meu amor em cada letra, assim como a gente aposta todas as fichas na rodada que se diz ser a última. Espero que lucros pequenos não me iludam a varar a noite jogando, até perder tudo. Mas por mais que eu perca, a maior perda está fadada a ser sua: tem coisa que ninguém tira de nós, exceto nós mesmos. 

Eu espero que você desperte deste transe que te roubou dos seus sonhos, porque você e eles morrem um pouquinho a cada dia que estão separados. Eu espero que você abra o coração e sinta: ainda há amor no mundo. Ainda há amor aqui - e esse é o maior motivo pra gente seguir acreditando em qualquer coisa.  

Com carinho,

Alguém que ainda acredita em você.