Flor por olho, flor por dente


Em um mundo tão "olho por olho", aqueles que devolvem flor acabam sendo taxados de tolos. Mas é aquela coisa: a gente cresceu ouvindo "faça o bem, sem olhar a quem" e, chega uma hora em que, sem nem perceber, isso já faz parte de nós. Ainda bem. 

Deve ser difícil entender, já que a sociedade tenta nos transformar naquela cena de A Era do Gelo, onde há apenas três melões e centenas de pássaros - e todos querem um melão. A gente cresce cercado de exemplos de ambição, interesse, maldade, vingança: quem consegue ficar imune a tudo isso já deveria levar um melão para casa. 

Mas também é complicado explicar: como é possível oferecer o outro lado, enquanto o mundo grita para você revidar? E a gente oferece. Oferece o outro lado, para mostrar que há outro caminho. No fundo, a gente sabe que o bem tem esse poder transformador: a gente oferece flor por olho, flor por dente, na esperança de se construir um jardim. 

O que eu quero pedir hoje é que você seja flor. Engula o orgulho, a vontade de estar certo, o desejo de sair vitorioso e seja flor. Não importa se é rosa ou flor de cacto (afinal, as coisas boas podem muito bem surgir dos espinhos), apenas seja. Vaidade, ego, mesquinharia - esses elementos tóxicos sempre destruirão nossos quintais, evite-os. Se hoje o mundo é um campo de batalha, amanhã ele pode ser jardim. Você já entregou sua flor hoje?