E se?


Você já viu suas localizações no Instagram? Reconheci essa tarefa há esses dias como um instrumento de pura nostalgia e mecanismo que joga na sua cara cada sonho que você deixou para trás. E se eu não tivesse largado a faculdade de jornalismo? E se não tivesse voltado para casa? E se eu não quisesse sair naquele dia? 

Quando a gente para pra analisar cada "e se" da nossa vida, beirar à loucura é normal: cada ação banal lá no passado se transforma numa variável absurda e um mero "sim" mudaria muita coisa. Quantas pessoas seriam conhecidas e outras desconhecidas, quantas músicas não conheceríamos e quantos sentimentos não sentiríamos?

Mas além de infinita variável, a vida também gosta de ser caixinha de surpresas e coincidências. A gente não consegue imaginar nem 10% de tudo que o destino arquiteta para nossas vidas: pessoas que nunca imaginamos se tornam essenciais, compartilham conosco situações sequer vislumbradas - e a gente fica pensando "e se?" Uma decisão tão simples quanto virar na próxima esquina e não na terceira pode fazer com que você não conheça o amor da sua vida. Já parou para pensar nisso? 

É como se a vida orquestrasse meticulosamente uma festa surpresa e, no final, dissesse "Eu tenho a certeza de que você nunca imaginaria isso!". Eu não imaginava tanta coisa: não imaginava ter os amigos que tenho, perder as coisas que perdi, passar por situações que eu passei. Mas eu percebi que justamente o que eu não imagino é o que traz mais cor na minha vida. Essas coisas que chegam do nada e bagunçam tudo, sabe? Nunca vou perder meu encanto por quem chega de supetão na minha vida e traz junto um vendaval. 

Acho que a vida cria essas coincidências para que não tenhamos a ousadia de subestima-la. Para mantermos a graça de viver, também. Nesses mares de "e se", contradições, coincidências e arrependimentos, a gente vai remando. A gente pode até oscilar e tropeçar - mas um pé continua sendo colocado à frente do outro. "A vida é como uma caixa de chocolates" dizia Forrest Gump. Dá para fazermos com que ela seja doce, então.