Faça uma análise SWOT de si mesmo

Fonte: We Heart It
Quem já estudou um pouquinho de Marketing ou Administração, ouviu falar da análise SWOT. Mas para quem nunca ouviu falar, é simples: analisa-se os pontos fortes e fracos, normalmente de uma empresa, e também as ameaças e oportunidades do mercado. Sendo assim, os pontos são intrínsecos à empresa e os outros dois vêm de fora. 

E em que isso pode ter relação conosco, às vésperas de mais um ano que se inicia? Bom, depois de pular sete ondas, comer sete uvas (e guardar suas sementes), usar tal cor de calcinha/roupa na virada, eu percebi que só existe uma coisa que pode mudar todas as outras: eu mesma. 

Então, ao invés de comermos lentilha em cima da cadeira, por que não enumeramos nossas qualidades? E nossos defeitos também? Assim como empresas em um mercado competitivo, nós também estamos cercados de oportunidades e de gente que fará de tudo para nos derrubar. 

Muitas vezes nós pensamos que somos uma coisa, porém transmitimos isso de uma forma totalmente adversa a quem nos cerca; podemos ter qualidades que nós mesmos não conhecemos e defeitos invisíveis aos nossos olhos; às vezes nos cercamos de pessoas que apenas sugam nossa energia e não acrescentam em nada e não nos damos conta disso. A partir do momento em que clareamos a vista em relação a tudo que nos cerca e nos compõe, tomar decisões e seguir caminhos viram missões mais tranquilas. 

Por mais que o tempo seja relativo e o ano novo seja apenas mais um dia, sempre há tempo de mudar. De se reinventar. Cada pessoa é um infinito de sentimentos, pensamentos, defeitos, virtudes, coisas boas e ruins - com paciência, discernimento e iluminação todos somos capazes de tirar o máximo proveito de nós mesmos. Já que tudo nessa vida é seletivo, até a memória: que a gente selecione então sempre tudo que há de melhor dentro de nossos infinitos pessoais.