Imaturo: todo mundo é um pouco

Fonte: We Heart It

Você pode ter 15, 19, 28 ou 42 anos: em algum momento vai agir de forma imatura. Afinal, ninguém aqui é um Alvo Dumbledore, que mantém o tom de voz e a serenidade frente à maior ignorância ou absurdo.

A gente cresce e vai achando que é imperdoável errar. Que é inconcebível às vezes perder a cabeça ou a linha. Mas todo mundo erra e vai continuar errando, mesmo que tais erros não sejam assumidos. A imaturidade é vista como algo tão ridículo, porém ninguém escapa dela.

Casais que já comemoraram bodas de prata às vezes ainda brigam por coisas mínimas - e não deixam de se amar. Jovens adultos continuam se desesperando pelos brinquedos do Mc Lanche Feliz, que mal há nisso? Eu preciso ser séria oito horas por dia e mesmo assim gosto de abrir meu coração aqui no blog. Ser sério o tempo todo não é, nem de longe, legal.

Não conseguiremos ser sérios, politicamente corretos ou  maduros 24 horas por dia (e que droga seria se conseguíssemos). Do mesmo jeito que frequentemente pisamos na bola, devemos perdoar as pisadas dos nossos iguais.

Oswaldo Montenegro já dizia que metade dele era amor e a outra também. Pois peço o mesmo: que a minha loucura seja perdoada - e as perdas de cabeça, linha e carretel. Creio que (quase) tudo nesse mundo pode ser perdoado, desde que transbordemos uma só coisa: amor.